17 de julho de 2015

Resenhando - A Cidade Do Sol



Ainda estou tentando me recompor, depois de finalizar a leitura da grandiosa obra do escritor Khaled Hosseini, até agora pouco estava sem coragem para fazer esta resenha, pois não encontrava palavras - e ainda não encontrei, mais vamos que vamos - para descrever a história e tudo que o livro me transmitiu.

A Cidade do Sol nos traz a estória de Mariam e Laila duas mulheres com um passado triste e que foram parar nas mãos de Rashid, um homem violento e agressivo que tornou-se marido dessas mulheres nos momentos em que elas mais sofreram na vida, no momento em que o Afeganistão passava por várias guerras, onde as mulheres não tinham direito algum, direitos que em um momento foram dados a elas e retirados tempos depois junto a guerra e o novo governo que assumiu logo depois, onde se passou a grande maioria da história.
Em poucos anos, essa menina vai ser uma mulher que pede muito pouco da vida, que nunca incomoda ninguém, nunca deixa transparecer que ela também tem tristezas, desapontamentos, sonhos que foram menosprezados. Uma mulher que vai ser como uma rocha no leito de um rio, suportando tudo sem se queixar. Uma mulher cuja generosidade, longe de ser contaminada, foi forjada pelas turbulências que se abateram sobre ela.
O livro relata também as várias vezes em que Laila e Mariam e muitas vezes até mesmo as crianças foram agredidas dentro de casa pelo marido, e essas cenas todas as vezes que eram descritas no livro aceleravam meu coração e me dava um sentimento que não tem como descrever, era um misto de tristeza e apavoramento sem fim que me deixava cada vez mais abatido e aquela pontinha de esperança de que tudo podia melhorar para aquelas mulheres também ficava em minha mente, muitas vezes parecia que tudo aquilo estava acontecendo em minha frente e elas pareciam estar pedindo socorro e eu não tinha como ajuda-las.
Mariam já tinha perdido a conta de quantas vezes o cinto estalou, quantas súplicas gritou.
Tudo o que eu pensava enquanto fazia a leitura de "A Cidade Do Sol", era que tudo ia melhorar em algum momento, em alguma parte elas iam se libertar de todas as coisas ruins que sofreram, pois elas já haviam sofrido perdas e sofrimentos demais e tudo que acontecia era piorar a vida de nossas protagonistas e eu estava lá sofrendo junto com elas.

A estória me fez sofrer, me fez me perguntar mais uma vez por que o ser-humano é tão cruel e mais uma vez não tive sucesso em encontrar a resposta, me fez ver que o que sofro de ruim em momentos de minha vida não é nada comparado com as humilhações e momentos ruins que foram vivenciados pelos personagens do livro, tudo que pude sentir por dentro de mim depois do término do livro fora sentimentos mistos que me marcou e muito.
Tem coisas que se podem aprender nos livros, mas tem outras que só mesmo vendo e sentindo.
Se tornou meu livro favorito, impossível que exista alguém na face da terra não se comova, não chore após ler  "A Cidade Do Sol". 

Recomendo muito, é uma leitura obrigatória, mas antes de iniciarem a leitura por favor se preparem emocionalmente para alguns altos e baixos que a estória nos proporciona.

É isso galera. E vocês já leram "A Cidade do Sol"?

3 comentários:

  1. Oi Felipe. Parabéns pelo blog e pela resenha do livro A Cidade do Sol. Eu só li o 1º paragrafo para não estragar o livro quando for ler ele e já quero este livro desesperadamente!!
    Beijokas!!!

    http://viciadasemlivros911.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Filipe! Que história tocante, né? Eu fico sentimental com histórias que envolvem violência também, principaente neste caso, com a violência contra a mulher, algo tão comum hoje em dia. O livro é tão real quanto a vida de muitas mulheres que tentam se livrar da prisão que acabam encontrando no próprio lar.

    Boas leituras.
    Abraço
    Diego, Blog Vida & Letras
    http://blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Livros que nos marcam dessa forma não podem passar despercebidos, já tinha ouvido falar da obra, mas nunca tinha me interessado muito. Sem falar no embasamento real dele. Enfim, ótima resenha.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir